historinhas

Fanfic da vida real: o vizinho injustiçado

Um vizinho apareceu no grupo do prédio no aplicativo WhatsApp – talvez confundindo-o pela rede social Twitter – para reclamar da tremenda “palhaçada” que estava acontecendo naquela manhã de quarta-feira. Pois, acreditem: estavam cortando a grama na frente do prédio às 9 (nove) horas, fazendo com que o vizinho em questão, vamos chamá-lo de Vitinho, acordasse de seu tranquilo sono. Vitinho, que foi dormir às três após uma cansativa noite de estudos e só queria poder descansar. Vitinho, que não conseguia acreditar na atitude maldosa e calculista da síndica ao marcar este horário para o corte da grama, especificamente para impedir o seu sono. Vitinho, que declarou em muitas mensagens no WhatsApp que “custa a acreditar que não tenha sido de propósito”.

E aí você pode pensar: nossa, mas este rapaz está descontrolado. Não tinha como a síndica adivinhar que ele estaria dormindo. Ela não pode planejar as atividades do prédio conforme os horários de repouso de cada condômino.

Você está obviamente errado. Na verdade, o prédio todo tem reuniões secretas de condomínio em que a síndica conta a todos os moradores os planos complexos e intrincados que ela bolou para fazer da vida de Vitinho um inferno.

calma, vitinho
calma, vitinho

A história da grama? Bem, todos sabem o quanto a falta de oito horas de sono diárias podem ser prejudiciais para qualquer jovem. Então, a síndica planejou ficar de tocaia na frente do prédio, observando até que horas Vitinho deixava a luz do quarto acesa. Quando finalmente, na fatídica quarta-feira, ele foi dormir às três, ela rapidamente telefonou para seu comparsa O Homem Que Corta Grama e pediu que ele viesse cedo, propositalmente interessada em atrapalhar o sono do nobre vizinho.

Há alguns dias a cidade inteira e algumas cidades da região ficaram sem água por problemas nas bombas de distribuição. O que mais seria isso senão um golpe da síndica para causar a Vitinho desconforto e transtorno? Ela SABIA que Vitinho, como o ser humano especial e singular que ele é, tomava banho todos os dias, usava a descarga, bebia água, lavava a louça. De posse desta informação, a síndica foi pessoalmente até as bombas de água e causou danos que levariam dias para serem corrigidos. Não satisfeita com secar as torneiras do prédio, ela providenciou que ninguém tivesse água nas proximidades para que Vitinho não pudesse pedir ajuda.

Esses dias Vitinho ficou sem suas chaves e teve que recorrer aos vizinhos para conseguir entrar em casa. Que outra pessoa que não a síndica teria pego as chaves no bolso de Vitinho para então jogá-las na caçamba de um caminhão carregado de soja em direção ao Nordeste onde as chaves jamais poderiam ser encontradas?

“Reclamaram que o meu cachorro faz as necessidades no gramado da garagem”, disse Vitinho em meio ao quebra-pau que já estava envolvendo outras tretas no grupo do WhatsApp. Que outra pessoa que não a síndica teria ela mesma feito as necessidades no gramado para então culpar o seu cachorro e criar uma aura de chateação para você, ó caro Vitinho?

Ora, claramente “essa senhora”, como você gosta de dizer, é a fonte de todas as mazelas da sua vida, Vitinho. Tem mais é que se indignar com as atitudes maléficas e mesquinhas desta que se diz a responsável por providenciar que a grama seja cortada mas que na verdade só quer te deixar cansado e indisposto.

E tem mais: eu não duvido nada que a síndica esteja macumunada com Dilma, Lula e o PT. Não seriam todos os problemas do Brasil plots desenhados para prejudicar a vida de Vitinho? Estamos de olho.

Advertisements

2 thoughts on “Fanfic da vida real: o vizinho injustiçado

Comente

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s